domingo, 5 de setembro de 2010



Mais de 150 municípios já requisitaram auxílio da força federal para as Eleições 2010

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já recebeu 151 pedidos para que a força federal auxilie na segurança no dia das eleições, em 3 de outubro. Até o momento, 120 pedidos já foram concedidos pelo TSE.O estado que mais solicitou atuação da força federal foi o Pará, com pedido para 106 municípios.

Também na região Norte, o Amazonas pediu reforço para Tabatinga; Manicoré; Autazes; Santo Antonio do Içá; Tonantins; Novo Airão; Benjamin Constant; Coari; Humaitá; São Gabriel da Cachoeira; e Boca do Acre, totalizando 11 cidades.

Já no Amapá, a força federal atuará em Oiapoque e, no Tocantins, em Itacajá; Tocantinópolis; e Tocantínia, mais especificamente em seções eleitorais localizadas em aldeias indígenas.No Rio Grande do Norte serão 20 municípios e, em Rondônia, 10 municípios.

Os pedidos estão sendo analisados em sessões administrativas pelo Plenário do TSE.A requisição de força federal está prevista no Código Eleitoral (Lei 4737/65, artigo 23, inciso XIV) e pode ser solicitada ao TSE para garantir o cumprimento da lei e uma tranquila votação e apuração dos resultados.

CM/GA

4 comentários:

José María Souza Costa disse...

Blogdojosemariacosta
terça-feira, 7 de setembro de 2010
DOM PEDRO I - e a minha fantasia JUVENIL.
Dom Pedro I, e a minha fantasia juvenil.
Nesta data, festiva em todo o Brasil, celebra-se a Independência do Brasil.
É verdade, estamos falando daquela Independência burocrática. De papéis, da maneira como tínhamos que atender às ordens das Cores Portuguesas. É verdade também, que ainda no mundo ginasial, o acontecimento é romântico, belo, deslumbrante. Monta-se uma mescla de heroísmo e mais não sei lá o que, e enaltece-se figuras e mais figuras da burguesia da época.
Mesmo depois de ter cursado EDUCAÇÃO FÍSICA, ou mesmo LETRAS, eu nunca quis fugir do meu mundo encantado, que os meus docentes da fase primária escolares me contavam, em Sala de aula. Eu, particularmente, nunca quis saber se o quadro pintado por Pedro Américo, é falso, verdadeiro ou invencionice do autor. Eu, nunca quis saber, se Dom Pedro I, realmente vinha da casa da Amante em Santos-São Paulo. Se estava este com desinteria, ou diarréia, e irritado Proclamou a Independência. Também nunca quis saber, se essa proclamação, já estava acordada com a Portuguesada, e nem tão pouco se Dom Pedro I, era um putenho, como dizem alguns historiadores, um verdadeiro comedor de escravas, um devasso, que tinha mais filhos, que os acessos de bisbilhotagem da filha do Serra. Nunca quis tomar essas histórias como verdadeira. Nem tão pouco, que ele era "acorruiolado" com José Bonifácio, que não era nenhum "Zé Mané" da vida, muito ao contrário, era rápido como uma raposa. Eu, ignoro todas essas histórias, e fico com um Dom Pedro I, herói, libertador e que amava o Brasil. Às vezes nem me lembro que ele morreu, segundo as más línguas de historiadores, com 36 anos de idade, no mesmo quarto, onde nascera em Queluz, empestado de doenças sexualmente transmissivéis. Se tudo isso é verdadeiro, como era danado esse Pedrinho! Eu, quero o Dom Pedro I, como herói do Brasil. Na faculdade, agente houve muitas histórias, que agente não quer ouvir, e acabam, estuprando o nosso romantismo.
Eu, tenho o Dom Pedro I, guardado em minha alma, o libertador, aquele que aprendi em meu curso primário, lá na minha doce e amada Arari, lá no meu distante agora, Maranhão.
Eu moro a poucos minutos do Museu do Ipiranga, aqui em Sampa, hoje 07 de Setembro, amanheceu chovendo bastante. Tenho um privilégio de conhecer um Museu belo, extraordinário, magnimame, deslumbrante. Nada, no Brasil, é tão encantador e atraente, quanto o seu jardim, e a vista, de quem está em suas escadarias ( a do Museu), deitando olhar para a Avenida Pedro I.
Dom Pedro é meu herói, e Libertador. Mas, precisamos libertar o Brasil: do Analfabetismo, do Curral Eleitoral, da Mortalidade Infantil, da Dengue, da falta de Moradia, do Trabalho Escravo em alguns Estados, do Preconceito Contra as Minorias, os Negros e Índios e ou outros.
Precisamos todos os trabalhadores, de uma Independência Ampla, Geral, Irrestrita e Transparente.
Precisamos de uma Independência Livre de Pensamento, Sem Censura, sem Bisbilhotagem e sem Patrulhamento.
Mas, precisamos sobre tudo: De Salários Dignos e Respeito aos Professores, que além de maus remunerados, teem como acinte, o atraso em sua Remuneração. Salário de Trabalhador, é algo Sacrossanto.
Independência para o Brasil, e para todos os Brasileiros.

José Maria disse...

Vim te convidar a voltar a seguir o meu BLOG, sem este a minha página fica menos bela.
Obrigada.

José María Souza Costa disse...

Vim lhe pedir desculpas, que por um erro meu, acabei bloqueando este. Mil desculpas, somente agora percebí.irritei-me comigo mesmo, por que este BLOg jamais, poderia ficar fora da minha página. Esta tudo normalizado e já estou seguindo.
Desculpas de coração amigo. E que Deus nos ajude a celebrar um Maranhão livre.

José María Souza Costa disse...

blogdOjosemariacosta
http://josemariacostaescreveu.blogspot.com
quinta-feira, 7 de outubro de 2010
SARNEY FUGIU DOS HOSPITAIS DA ROSEANA

Meus Leitores.........

O Senador José Sarney, Presidente do Senado Federal, Maranhense por nascimento, Amapaense por oportunismo, está internado no Hospital Sírio Libanês no Estado de São Paulo.
O Senador, a família e os apaniguados, estão com as chaves do Cofre do Estado do Maranhão, a um pouco mais de 40 anos. Não construíram Escolas, não fizeram nada pela Segurança Publica, tanto que o Estado é um corredor do Crime Organizado, não estão nem aí para Saneamento Básico, tanto é verdade que os banheiros dos maranhenses, é um quadradinho cercado de palha de babaçu, e um buraco no chão, conhecido entre nós de "citrina". É ali, que o maranhense agacha-se, e derrama as suas necessidades. Quem afirma isso é o ( IFDM ) índice Firjam de Desenvolvimento dos Municípios, orgão do governo, que apresenta esse texto.
A rede hospitalar não existe. Não tem hospital no Maranhão . Ou tem ? Se tem por que o Senador está hospitalizado aqui em São Paulo, e não lá em seu Maranhão ? Ou então, por que não correu ao seu Amapá ? É furreca os hospitais da Roseana Sarney. Estão todos largados, abandonados, senão é verdade, por que o Senador não está internado neles ? Aonde está o Maranhão cantado, versado, rimado, colorido, que a Roseana mostrava em suas enrrolações eleitorais ? Por que essa patuléia toda corre pra cá ( São Paulo ), quando sente uma tontura, uma dor de barriga, uma arretemia cardíaca, como sentiu o Senador ? Por que esses açougues, servem para o povo pobre e trabalhador, e não servem para os Sarneys ? Por que ele não fez pelo menos um Hospital, para ele deitar e morrer em Paz ? Ou se morrer aqui em Sampa, a alma vai de avião, ou só será remetido o esquife e, esta ficará perambulando, por aqui pelo Sul ?
Uma voz potente do Rádio Brasileiro tocou ontem nesse assunto via twitter: O apresentador MIlton Neves da TV Bandeirantes, para o Brasil inteiro começar a acordar e prestar a atenção, nesses que tratam o Estado do Maranhão como fosse uma Casa Grande, o seu povo valioso como fosse a Senzala, teleguiado pelos risos, pelas carnes moídas, pelos arroz de cuxá ou mesmo os carteados de uma Sinhazinha.
Aonde estão os teus hospitais, Roseana Sarney ? Por que O Senador, não está internado em um deles ?